Número total de visualizações de página

quinta-feira, março 29, 2012

sábado, março 24, 2012

quinta-feira, março 22, 2012

terça-feira, março 20, 2012

segunda-feira, março 19, 2012

Mensagem a um AMIGO



...para Ti Paizinho...
onde estás e como estás???!!!!!

...serás sempre o meu Paizinho !


domingo, março 18, 2012

...rio...choro????

...oh meus Deus

isto é que vai

uma crise

pa todos nós

sábado, março 17, 2012

hoje sou...l+ lagrima...


hoje sou...l+ lagrima...

Hoje sou riso...e...sou lágrima...

sou dor e mágoa...

cansaço...futilmente embelezado...

sou chaga aberta...em parte incerta...

ferida sangrenta...magenta

marcada, chaga...engrossada

Hoje sou desespero...terminal

sou razão...irracional...

sou chão vazio...frio...

sem nada a perder...sem ser...

Hoje sou cloreto de sódio...total...

água perdida...banal...

trémula de sentires...perdidos

de quereres profundos...sentidos

Hoje sou...pedra feita pó...

na mó...do tempo

momento...a momento

areia de praia...levada pelo vento

num mar de tormento...

esquecida no tempo...sem tempo.

Hoje sou só...um suspiro sussurrado...

algures em mim...suspirado

sou ar...perdido...no sal evaporado

água solta em mim...por todo o lado.

Hoje sou lágrima do nada...afogada...

desprovida de razão...

no desespero do coração...



Maria José Lacerda

...aconchego...


...huummmm, que bom ter-te aqui pertinho de mim :-)

quinta-feira, março 15, 2012

...caminho de Luz...




...estou percorrendo este caminho
com a Tua ajuda LÁ chegarei...

terça-feira, março 13, 2012

...leituras...





O que mais gosto de fazer LER







domingo, março 11, 2012






hoje estou numa de LAR DOCE LAR

sexta-feira, março 09, 2012

...8 de Março...


A todas as mulheres que marcaram e marcam a minha vida, um abraço de mulher para mulher.

SER MULHER...

Hoje é dia internacional da mulher.
Para muitas mulheres, o dia em que quase tudo é permitido porque pegam nestas 24 horas para tomarem as rédeas do seu dia e soltá-las num sentimento de libertinagem como se o mundo acabasse amanhã.
Talvez esteja a confundir tudo ou a distorcer, talvez seja fruto dos tempo que atravessamos e que levo a sério para me examinar, talvez...
Talvez por isso não me identifico com a euforia que se instala e que leva a uma corrida desenfreada e ávida de divertimento tantas vezes excessivos.
Este dia nasceu com o objectivo de "tocar as consciências" para as desigualdades e descriminações a que as mulheres têm sido sujeitas ao longo dos tempos e homenagear as que pagaram - até - com a própria vida o seu arrojo de gritar mais alto a reivindicação por bens tão básicos como pão, a paz.
Neste dia lembro todas as mulheres que ainda lutam pelo simples direito de destapar a cara, um gesto banal mas proibido que as priva de sentir o sol na face; A todas as que sofrem mutilações e são destratadas ou olhadas como seres inferiores; Às que sofrem em silêncio pelo silêncio duma ajuda que tarda chegar.
É sobre todas essas mulheres que assento o meu dia e às quais rendo a minha homenagem.
Sou privilegiada. Não pelo facto de poder correr para uma discoteca, não para usufruir duma mesa onde só têm lugar as mulheres, não para gritar bem alto que sou dona de mim e faço o que bem entendo. Mas para me olhar e gritar que tudo posso mas nem tudo me convém. Esta é a minha liberdade: poder dizer: Sim, sim. Não, não!
Hoje, de forma especial, vou olhar para dentro de mim e tentar ver com clareza a mulher que sou. Vou olhar nos meus olhos e ler o que eles refletem e de olhos postos na Mãe das mães - Maria - tirar dela o Seu exemplo de amor, entrega e dedicação e à Sua semelhança ousar ser um pouco melhor.
SER MAIS MULHER!

Dulce Gomes

segunda-feira, março 05, 2012

Olhão: Novo acordo ortográfico foi discutido na Biblioteca
Conversa informal na Biblioteca Municipal
O Novo Acordo Ortográfico, que tanta polémica tem suscitado em Portugal, foi alvo de uma conversa informal na Biblioteca Municipal, esta semana, com o professor de Linguística da Universidade do Algarve Jorge Batista. Os participantes aproveitaram para esclarecer algumas das dúvidas existentes.

Mais importante do que a escrita é a língua, essa terá de ser sempre a que falamos. Quanto à escrita, “precisa de uma norma, que é apenas para a comunicação pública. Em privado, podemos escrever como quisermos”, referiu Jorge Batista em Olhão.

Sobre o Acordo Ortográfico agora alcançado e legislado, recordou que ao longo de décadas existiram várias tentativas de chegar ao consenso e agora à sua implementação, em 2012. Mas, afinal, para que serve um acordo? Por exemplo, “para uma maior aproximação da escrita à pronúncia”. Mas, ressalva Jorge Batista, “a língua não muda. Ninguém passa a falar de forma diferente mas, nalguns casos, temos de reaprender a escrever, o que implica um esforço consciente”.

Para o especialista, “não há nenhum problema de legitimidade, ninguém nos impôs um novo acordo”. Diz Jorge Batista que “a língua faz parte da identidade de um povo, a língua, não a grafia”, para explicar que com as mudanças implementadas a nossa identidade linguística não é posta em causa.

Jorge Batista diz que não concorda com tudo, mas acredita que “existem vantagens e que o texto pode ainda ser melhorado. Somos nós que fazemos esta língua, o mais importante é que saibamos falar e escrever português!”. E defende que a discussão surgida “já fez muito pelo acordo, independentemente de ser bom ou mau”, acrescentando: “Não ficámos humilhados com o novo acordo, mas que há problemas, há!”.

Entre algumas dúvidas surgidas e explicadas durante a conversa com a assistência que esteve presente na Biblioteca Municipal de Olhão, o professor aconselhou a consulta do Portal da Língua Portuguesa, onde é possível obter respostas para muitas interrogações.